Interação e Usabilidade


Ressurgindo

Olá Pessoal,

depois de alguns anos sem novas atualizações, estou retomando o projeto desse blog como uma forma de mostrar o que está acontecendo na área de interação humano computador nas mais diversas mídias.

O foco continuará sendo usabilidade e interação, porém, não unicamente aplicado à TV Digital como no início.

Aos poucos irei organizar a casa para que fique cada vez mais fácil encontrar o que procuram e opinar sobre os posts aqui publicados.

Sugestões são sempre bem vindas!

Espero que gostem, aproveitem e que esse blog gere discussões, para novas iniciativas.

 

Abraços,

Lílian Simão Oliveira


Após um ano, TV digital chega a 0,3% da população brasileira

A TV digital atingirá 645 mil espectadores até o final deste ano, quando completará um ano em operação desde sua estréia oficial. O dado, que corresponde a 0,3% da população, foi divulgado dia 04 de novembro pelo Fórum SBTVD (Sistema Brasileiro de TV Digital), com base nos dados da Eletros (Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos).

Dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, do IBGE) divulgada em 2006 indicam que 93% dos domicílios possuem televisores no país. Para fins de comparação: 42 milhões de pessoas têm acesso a internet (23%), de acordo com pesquisa do Ibope do segundo trimestre deste ano.

O fórum já confirmou que a transmissão chegará a 2009 sem a interatividade. Isso porque o Ginga, sistema que leva ao aparelho o uso interativo, ainda está em fase de especificação por parte da equipe que colabora com o fórum. Depois, as especificações para a tecnologia ainda precisam ser aprovadas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

A previsão mais otimista é que a interatividade funcione em algum momento do próximo semestre.

Reportagem que saiu na Folha Online, para ler a reportagem completa clique aqui.


TVs têm sintonizador digital integrado

De olho nas compras de fim de ano, fabricantes de televisão investem no combo alta definição e conversor digital embutido –que permite capturar o sinal da TV digital– para chamar a atenção dos consumidores.

As vendas da TV digital parecem ter empolgado mais o mercado do que os telespectadores -afinal, até o fim do ano, a TV com mais qualidade atingirá apenas 645 mil espectadores, segundo o Fórum SBTVD (Sistema Brasileiro de TV Digital).

Outro tipo de produto que vem ganhando espaço no mercado são os monitores de computador com sintonizador de TV. Esse tipo de monitor consegue decodificar o sinal da TV aberta ou a cabo. Para isso, basta ligar o cabo da antena no aparelho.

Para ler a reportagem completa, veja a Folha Online



Chip de TV analógica para celular aposta em baixa adesão ao sinal digital

Notícia curiosa, enquanto a maioria dos fabricantes apostam em tecnologias digitais a empresa Telegent aposta ainda no mercado analógico de TV.

Ela que negocia com fabricantes de celulares a produção de aparelhos com o uso de um chip que permite assistir a canais de TV aberta, gratuitamente. A companhia aposta que a TV digital “não pega” por aqui em menos de quatro anos e que as pessoas vão aprender a ver televisão por celular usando o sinal analógico mesmo.

A vantagem é que o sistema capta o sinal da TV analógica, presente em todo o território nacional. Enquanto isso, a digital tem cobertura apenas nas cidades de São Paulo, Rio, Belo Horizonte e Goiânia. A Telegent aposta que, daqui a três anos, essa cobertura não chega a 50% do país.

Divulgação
Chip da Telegent equipa celulares; empresa busca parcerias para lançar sistema
Chip da Telegent equipa celulares; empresa busca parcerias para lançar sistema

“Por enquanto, a TV digital é basicamente só São Paulo. Se o cliente estiver, em Santos, em Campinas, em Olinda, o que ele compra? Que opções ele tem?”, afirma Carlos Kirjner, vice-presidente de desenvolvimento de negócios da Telegent.

Mais uma novidade, que promete está em breve no mercado, para quem quer adicionar maiores funcionalidades ao seu celular.

Para ler a notícia na íntegra, leia a reportagem da Folha OnLine


TV digital completará um ano no Brasil com 645 mil espectadores

Em dezembro, a TV digital completará um ano com 645 mil espectadores no Brasil segundo um levantamento do Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD) feito a partir de dados de previsão de vendas de receptores fixos e móveis obtidos com a Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros) até o fim do ano. Segundo o relatório, haverá no país 150 mil receptores fixos (conversores externos e embutidos em TVs), o que corresponde a 3,3 telespectadores por aparelho. Somam-se a isso 150 mil receptores móveis (celulares, minitvs e pen-drives), em que normalmente uma pessoa por aparelho acessa o serviço. “As encomendas do varejo à indústria já foram feitas”, diz Moris Arditti, vice-presidente do Fórum SBTVD. “A questão que resta é como a crise financeira vai afetar as vendas de fim de ano.”

Desde o lançamento, a TV digital chegou também a Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Curitiba e Goiânia. No próximo mês, Porto Alegre e Salvador também passarão a ter transmissão digital. No total, a cobertura chegará a 20 milhões de pessoas, o dobro da população do Chile. Isso significa que só 3,2% de quem têm acesso ao serviço já fez a transição do analógico para o digital. Arditti reconhece que esse número é baixo, mas está dentro das expectativas. “Toda lançamento de uma nova tecnologia começa com vendas baixas e depois decola”, diz ele. “Em 2009, espero ver um crescimento de três dígitos desse mercado”.

Reportagem muito boa da revista Época Negócios, para ler a reportagem completa clique aqui



Advogado lança livro sobre TV digital na próxima semana em SP

O advogado Ericson Meister Scorsim lança hoje (10/11/08) o livro “TV Digital e Comunicação Social – Aspectos Regulatórios” na Sociedade Brasileira de Direito Público (SBDP), em São Paulo. Durante o lançamento, Scorsim dará uma palestra sobre o assunto.

A proposta do livro é mudar o atual modelo regulatório das chamadas TVs comerciais, eliminando o regime de concessão de serviço público e passando a tratar as emissoras apenas como atividades econômico-comerciais.

Dessa forma, a fiscalização sobre os serviços prestados pelas emissoras de televisão caberia a uma agência reguladora, como já ocorre com as empresas de energia e telefonia, diz o advogado.

O especialista traça também na obra as diferenças conceituais entre a TV pública e a estatal. “Muito do que hoje se convencionou chamar de TV pública é na verdade uma TV estatal, pois é gerida, controlada pelo Estado. A TV pública tem um conceito mais amplo e próximo de um serviço desenvolvido e gerado pela comunidade, pela sociedade civil organizada”, afirma.

“TV Digital e Comunicação Social – Aspectos Regulatórios”
Onde: Sociedade Brasileira de Direito Público (r. Leôncio de Carvalho, 306, 7º. andar. Próximo à av. Paulista)
Quando: segunda-feira (10), a partir das 18h30
Quanto: entrada franca (vagas limitadas). Inscrição no site: www.sbdp.org.br

Reportagem copiada da Folha OnLine


Canal de retorno

Mais uma da série de conceitos.

O que vêm a ser um canal e retorno e sua aplicação na TV Digital?

Canal de Retorno é a tecnologia de redes que permite a informação que o telespectador irá gerá, retorne para a emissora. Atualmente existe diversos testes e projetos pilotos para testar inúmeras tecnologias que poderam ser aplicadas neste cenário. Em um outro post irei explanar um pouco mais sobre elas.

E a sua aplicação na TV Digital é fundamental para se conseguir atingir um nível total de interatividade, onde o usuário poderá interferir na programação que esta sendo transmitida, seja através de uma enquete ou seja através da escolha do próximo filme.

Através deste nível de interatividade, é possível ter o acesso às funções básicas de um computador conectado à Internet e usufruir aplicações como navegação, e-mail, chat, competições interativas (por exemplo: jogos multi-usuários em tempo real), compras, homebanking, educação à distância, entre outras.

A escolha da tecnologia do canal de retorno é uma decisão de cada radiodifusora. A norma sete do SBTVD prevê o uso de diversas tecnologias para o canal de retorno. Mas as duas que têm gerado mais interesse são a 3G (HSDPA) e a banda larga por cabo.

Na opinião de Roberto Franco, presidente do Fórum SBTVD, o Brasil não especificou um canal de retorno. Especificou o canal de interatividade. E elencou uma série de tecnologias que o dão suporte.

– Nós não definimos um meio físico da interatividade. Nós definimos a camada de protocolo, a interface de comunicação com os dispositivos que suportarão a interatividade: ADSL, dial-up, 2,5G, 3G, e qualquer outra plataforma padronizada internacionalmente.


SET – Região Norte

Começa hoje a SET Norte 2008, que é um Seminário de Tecnologia em Televisão. E trata assuntos como: Gerenciamento, Produção, Transmissão, Distribuição e Exibição de Conteúdo Eletrônico Multimídia.

Nos dias 05 e 06 de novembro em Manaus/AM, no Studio 5.

E as palestras falarão sobre:

TV Digital
Formatos Tapeless
Novos Displays e Tecnologias de TV para Dispositivos Móveis
Radiodifusão Digital
Redes, Distribuição e Armazenamento de Mídias Digitais
Satélites
Sistemas de Jornalismo: Captação, Operação e Monitoração Remota.
Tecnologia HDV
Tecnologias de Monitoração
Vídeo sobre IP

Para maiores informações veja o site oficial da SET.


Em São Paulo ocorre debate gratuito sobre TV digital

O Festival Internacional de Televisão conta com o debate “TV Móvel: Novas Mídias e Novas Demandas de Conteúdo”, que abordará a transmissão na TV digital. As entrada é gratuita. As incrições podem ser feitas no site do IETV (Instituto de Estudos de Televisão). O evento acontece nos dias 06 a 09 de novembro, e também acontece em outros dias em capitais como Belém e Rio de Janeiro, ainda nesse mês.

Estarão na mesa o diretor de interatividade da Band, Luis Renato Olivalves, a gerente de conteúdo de TV da Oi, Adriana Alcântara, o diretor da M1nd, Alberto Magno, e Luiz Noronha da Conspiração Filmes. O evento acontece no Museu da Imagem e do Som (MIS), na zona sul da capital paulista.

A TV digital brasileira completa no próximo mês um ano desde sua estréia oficial, em São Paulo, ainda sem interatividade. A ferramenta só deve chegar ao sistema brasileiro em 2009, informou à Folha Online Roberto Franco, presidente do Fórum da TV Digital, órgão que congrega radiodifusores, indústria, academia e governo.

Notícia copiada da Folha Online


NCL agora usando eclipse

O pessoal da Universidade Federal do Maranhão(UFMA) lançou um plugin para a plataforma eclipse, para o desenvolvimento de aplicações para TV Digital usando a linguagem NCL.

Eles têm um site com tutoriais e os arquivos para instalação. Muito bom, para conferir é só clicar aqui.

No portal do software público, na comunidade Ginga, já foi até definido uma seção para tratar desse plugin, porém ainda não contém material a respeito. Enquanto isso é só acompanhar no site oficial do projeto. =)

É isso aí mais pesquisas sendo desenvolvidas com a finalidade de facilitar o desenvolvimento de softwares para TV Digital.